ARMAZENAMENTO DE GRÃOS DE CRAMBE [Crambe hyspanica subesp. abyssinica (Hochst ex R.E.Fr) PRINA]: SISTEMAS ANTIOXIDANTES, PIGMENTAÇÃO E METABOLISMO DE RESERVAS

  • Magnun Antonio Penariol da Silva Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Marco Antonio Martin Biaggioni Faculdade de Ciências Agronômicas / UNESP - Botucatu
  • Ana Cláudia Macedo Stoller do Brasil
  • Gisela Ferreira Departamento de Botânica - IBB - UNESP - Botucatu
  • Fernando João Bispo Brandão

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi avaliar a degradação de reservas, a variação da pigmentação e a atividade enzimáticas de grãos de crambe armazenados durante 12 meses. Os grãos de crambe foram colhidos com 10,2 % de teor de água e armazenados em sacos de papel, acondicionados em condições laboratoriais. As análises foram realizadas assim que os grãos foram colhidos (tempo 0) e aos 4, 8 e 12 meses de armazenamento. Após obtenção dos dados, os resultados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (p≤0,05). Conclui-se que a quantidade de lipídeos não variou significativamente, ao longo dos 12 meses armazenamento. No entanto, levando em consideração o aumento a pigmentação e a degradação dos açúcares solúveis totais, sugere-se o armazenamento dos grãos de crambe até 6 meses após a colheita.

Biografia do Autor

Magnun Antonio Penariol da Silva, Universidade Federal Rural da Amazônia

Engenheiro Agrícola

Doutor em Agronomia (Energia na Agricultura)

Docente do Curso de Engenharia Agrícola da Universidade Federal Rural da Amazônia - Câmpus de Tomé-Açu/PA

Marco Antonio Martin Biaggioni, Faculdade de Ciências Agronômicas / UNESP - Botucatu

Departamento de Engenharia Rural

Faculdade de Ciências Agronômicas / UNESP - Botucatu

Ana Cláudia Macedo, Stoller do Brasil
Bióloga, Doutora em Agronomia (Horticultura)
Gisela Ferreira, Departamento de Botânica - IBB - UNESP - Botucatu
Departamento de Botânica - IBB - UNESP - Botucatu
Publicado
2018-10-05
Seção
Processamento e Balanço Energético de Produtos e Derivados Agropecuários