COMPARAÇÃO DO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CRAMBE (Crambe abyssinica Hochst) COM OUTRAS CULTURAS OLEAGINOSAS EM SISTEMA DE PLANTIO DIRETO

  • Samir paulo Jasper Unesp - FCA
  • Marco Antonio Martin Biaggioni
  • Paulo Roberto Arbex Silva Unesp-FCA

Resumo

O biodiesel é uma realidade no Brasil, devido ao Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB), que tornou obrigatório em 2008, adição de 2% de biodiesel em todo diesel comercializado, numa mistura denominada B2. O setor agroindustrial respondeu ao programa federal, enfrentando várias dificuldades para produção do biodiesel, em que se destacou a oferta de matéria-prima. Os problemas relacionados à produção de biodiesel foram, principalmente, a escassez do óleo do vegetal, por causa da demanda dos mercados interno e externo, e a alta dos preços das matérias-primas disponíveis para a produção, tornando a fabricação deste biocombustível economicamente inviável, mesmo no Brasil, onde os custos da produção agrícola estão entre os mais competitivos do mundo. O crambe é uma espécie vegetal que tem despertado interesse dos produtores brasileiros, devido ao teor de óleo, rusticidade, cultivo mecanizado e, principalmente, por ser uma cultura de inverno, tornando-se uma opção a mais para o agricultor neste período. Além disso, pode compor sistemas de rotação de culturas, bem como ser utilizado como cobertura vegetal do solo no período de inverno. O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial de produtivo e o custo de produção do crambe, conduzido em sistema de plantio direto e comparar estes parâmetros com outras culturas oleaginosas como: girassol; canola e soja. O ensaio foi conduzido no ano agrícola de 2008, na Fazenda Experimental Lageado, pertencente à Faculdade de Ciências Agronômicas – UNESP, localizada no município de Botucatu - SP. A produtividade obtida foi de 1.507,05 kg ha-1, resultando numa produção de 561,94 litros de óleo por hectare. O custo de implantação e condução do crambe por hectare foi de R$ 875,87, que resultou no custo de R$ 1,56 por litro de óleo, sendo o menor custo entre as culturas oleaginosas analisadas.

 

Palavras-chave: Análise econômica, biodiesel e bicombustível.

 

COMPARISON OF COST OF CRAMBE PRODUCTION (Crambe abyssinica Hochst) AND OTHER CULTURE IN OILSEEDS IN NO TILLAGE.

 

SUMMARY: Biodiesel is a reality in Brazil, due to the National Program of Biodiesel Production and Use (PNPB), which became mandatory in 2008 in adding 2% biodiesel in all diesel sold in a blend known as B2. The agribusiness sector responded to the federal program, facing many difficulties in biodiesel production, which highlights the supply of raw material. Problems related to biodiesel production were mainly the shortage of vegetable oil, because of demand from domestic and foreign markets, and rising prices of raw materials available for production, making this biofuel production economically feasible, even in Brazil, where agricultural production costs are among the most competitive in the world. The crambe is a specie that has aroused the interest of Brazilian producers due to oil content, hardiness, and mechanized cultivation, mainly for being a winter crop, it becomes one more option for farmers in this period. In addition, you can compose systems of crop rotation as well as being used as ground cover in winter. The aim of this study was to evaluate the potential for productive and cost of production of crambe, conducted in no-tillage system, to compare these parameters with other oil crops such as sunflower, canola and soybean. The trial was conducted in the agricultural year 2008 at the Experimental Farm Lageado belonging to the Faculty of Agronomic Sciences - UNESP, located in Botucatu - SP. The estimated yield was 1.507,05 kg ha-1, resulting in a production of 561,94 liters of oil per hectare. The cost of installation and conduct of crambe per hectare was R$ 875,87, resulting in a cost of R$ 1,56 per liter of oil, the lowest cost among the oilseed crops analyzed.

 

Keywords: Analysis economic, biodiesel e biofuel.

Biografia do Autor

Marco Antonio Martin Biaggioni
MARCO ANTÔNIO MARTIN BIAGGIONI 
Paulo Roberto Arbex Silva, Unesp-FCA

PAULO ROBERTO ARBEX SILVA

Publicado
2010-12-30
Seção
Artigo sem classificação na Rev. EA