AVALIAÇÃO DE METODOLOGIAS PARA DETERMINAÇÃO DO TEOR DE ÁGUA NOS GRÃOS DE ORYZA SATIVA L. E DE COFFEA ARABICA L.

  • ARLINDO MODESTO ANTUNES Universidade Federal Rural da Amazônia https://orcid.org/0000-0001-8652-7249
  • GABRIEL CARVALHO MATIAS Universidade Federal de Lavras
  • CÁSSIO HUMBERTO LIMA Universidade Federal de Lavras
  • ALCEBIADES FOGAÇA DE SOUZA SOBRINHO Universidade Federal de Lavras
  • VINICIUS MORIBE PEREIRA Universidade Federal de Lavras

Resumo

AVALIAÇÃO DE METODOLOGIAS PARA DETERMINAÇÃO DO TEOR DE ÁGUA NOS GRÃOS DE ORYZA SATIVA L. E DE COFFEA ARABICA L.

 

ARLINDO MODESTO ANTUNES1, GABRIEL CARVALHO MATIAS 2, CÁSSIO HUMBERTO LIMA3  ALCEBIADES FOGAÇA DE SOUZA SOBRINHO4 VINICIUS MORIBE PEREIRA5

 

1 Docente do curso de Engenharia Agrícola, Universidade Federal Rural da Amazônia, Rod. PA 140, 2428-4822, CEP: 68680-000, Tomé-Açu – PA, Brasil. e-mail: arlindo007@gmail.com.

2 Mestrando em Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Lavras, Aquenta Sol, CEP: 37200-900, Lavras – MG, Brasil. e-mail: gabrielcarvim@hotmail.com.

3 Doutorando em Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Lavras, Aquenta Sol, CEP: 37200-900, Lavras – MG, Brasil. e-mail: cassiomg17@hotmail.com.

4 Doutorando em Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Lavras, Aquenta Sol, CEP: 37200-900, Lavras – MG, Brasil. e-mail: alcebiadesfss@gmail.com.

5 Mestrando em Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Lavras, Aquenta Sol, CEP: 37200-900, Lavras – MG, Brasil. e-mail: vmp@viniciusmoribe.com.

 

RESUMO: O principal fator influenciador no processo de conservação dos grãos é o teor de água dos mesmos, sendo que as reações de deterioração acontecem em altos níveis de umidade. Portanto, os grãos armazenados devem ser preservados ao máximo. O objetivo deste estudo foi aferir a exatidão e reprodutibilidade dos métodos: padrão da estufa 105°C, destilação por Brown-Duvel, condutividade elétrica e método dielétrico (capacitância), relacionando os resultados com a massa específica do produto. Os resultados foram submetidos à análise de variância e teste de Tukey a 5% de significância e as análises foram realizadas utilizando software estatístico Sisvar versão 5.6. O método da capacitância mostrou-se eficaz para determinação do teor de água dos grãos, tanto para o arroz e como para o café, sendo equiparável ao método padrão da estufa 105°C. A massa especifica média aparente encontrada para o arroz e para o café foram 740,5 e 614,1 kg.m-3, respectivamente.

 

Palavras-chaves: capacitância, massa específica, brown-duvel, condutividade elétrica.

 

METHODOLOGIES EVALUATIONS FOR DETERMINING THE WATER CONTENT IN ORYZA SATIVA L. AND COFFEA ARABICA L. GRAINS

 

ABSTRACT: The main influencing factor in grain conservation process is water content of grains, with deterioration reactions occurring at high humidity levels. Therefore, stored grains must be preserved to the maximum. The aim of this study was to assess the accuracy and reproducibility of methods: standard of the oven at 105°C, Brown-Duvel distillation, electrical conductivity and dielectric method (capacitance), relating the results to the specific product mass. The results were subjected to analysis of variance and Tukey's test at 5% significance and were performed using Sisvar version 5.6 statistical software. The capacitance method proved to be effective for determining the grains water content, both for rice and coffee, being comparable to the standard method of the 105°C oven. The apparent average specific mass found for rice and coffee were 740.5 and 614.1 kg.m-3, respectively.

 

Keywords: capacitance, especific mass, brown-duvel, electric conductivity.

Biografia do Autor

ARLINDO MODESTO ANTUNES, Universidade Federal Rural da Amazônia

Possui Mestrado em Engenharia Agrícola (2016) e Bacharelado em Engenharia Agrícola (2013), ambos pela Universidade Estadual de Goiás (UEG), concluiu também curso Técnico em Agropecuária pelo Instituto Federal Goiano (2007), cursa doutorado no programa de Engenharia Agrícola da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Atua na área de concentração: Engenharia de Sistemas Agroindustriais, com especialidade em Construção e Armazenamento de Produtos Agrícolas. Tem experiência nas áreas de Construção de Unidades Armazenadoras de Grãos, Secagem, Aeração e conservação de grãos e sementes. É docente, em regime de dedicação exclusiva na Universidade Federal Rural da Amazônia, atuando no curso de Engenharia Agrícola.

GABRIEL CARVALHO MATIAS, Universidade Federal de Lavras

Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Lavras (2017). Técnico em Agropecuária pelo Instituto Federal do Sul de Minas Campus Machado (2009). Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em processamento, secagem, armazenagem e qualidade do café. Atualmente desenvolve atividades em negócios e elaboração de projetos de pós colheita visando a originação de cafés de qualidade .

CÁSSIO HUMBERTO LIMA, Universidade Federal de Lavras

Engenheiro Agrícola formado pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), Engenheiro Civil formado pelo Centro Universitário de Lavras (UNILAVRAS), Mestre em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), durante a graduação participou como bolsista do Programa de Educação Tutorial do curso de Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Lavras. Participou como colaborador do Núcleo de Estudo em Sistemas Agrícolas da Universidade Federal de Lavras. Participou de estágios relacionados a área de Engenharia Agrícola e Engenharia Civil.

ALCEBIADES FOGAÇA DE SOUZA SOBRINHO, Universidade Federal de Lavras

Bacharel em Engenharia Agrícola e Ambiental participou como bolsista PIBIC/CNPq no projeto COMPACTAÇÃO E TENSÕES DE ÁGUA NO SOLO SOBRE O ESTABELECIMENTO INICIAL DE PLÂNTULAS DE MILHO na Universidade Federal de Mato Grosso, Campus de Rondonópolis. Colaborou com diversos projetos no curso de graduação atuando principalmente nas seguintes áreas: recuperação de áreas degradas, manejo e conservação do solo e da água. Atualmente é bolsista no programa de Pós-graduação nível mestrado em Engenharia de Sistemas e Automação da Universidade Federal de Lavras com área de concentração em Instrumentação Agrícola, trabalhando no projeto de título CLASSIFICAÇÃO E SEPARAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA VERDES E MADURAS POR MEIO DE MÉTODOS ÓPTICOS.

VINICIUS MORIBE PEREIRA, Universidade Federal de Lavras

Possui graduação em Administração pela Universidade Positivo (2006) e graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (2018). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Física do Solo, atuando principalmente nos seguintes temas: índice S e Curva de Retenção de Água - CRA.

Publicado
2019-12-05
Seção
Processamento e Balanço Energético de Produtos e Derivados Agropecuários