DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DA FAIXA CILIAR E QUALIDADE DE ÁGUA DE DUAS MICROBACIAS UTLIZADAS PARA ABASTECIMENTO HUMANO

Autores

  • Milton Marques Fernandes Universidade Federal de Sergipe
  • Marcos Bacis Ceddia UFRRJ
  • Márcio Rocha Francelino UFV
  • Márcia Rodrigues de Moura Fernandes UnB

DOI:

https://doi.org/10.15809/irriga.2015v20n1p128

Resumo

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DA FAIXA CILIAR E QUALIDADE DE ÁGUA DE DUAS MICROBACIAS UTLIZADAS PARA ABASTECIMENTO HUMANO

 

 

MILTON MARQUES FERNANDES1; MARCOS BACIS CEDDIA2; MÁRCIO ROCHA FRANCELINO3 E MÁRCIA RODRIGUES DE MOURA FERNANDES4

 

1Professor Doutor do Departamento de Ciências Florestais, UFS, e-mail: miltonmf@gmail.com

2Professor Doutor do Departamento de Solos, UFRRJ, e-mail: ceddia@ufrrj.br

3 Professor Doutor do Departamento de Solos, UFV, e-mail: marciorocha@ufrrj.br

4 Doutoranda em Ciências Florestais da UFES, e-mail: marciarmfe@gmail.com

 

 

1 RESUMO

 

O objetivo deste estudo foi avaliar o cumprimento da legislação ambiental na faixa ciliar e o impacto do uso do solo em relação aos coliformes e metais pesados na água de duas microbacias utilizadas para captação de água. Avaliação do cumprimento da legislação e uso do solo foram realizados utilizando imagem Ikonos II e carta planialtimétrica do IBGE manipuladas no SIG ARCGIS. Para a qualidade da água, três amostras foram coletadas mensalmente e analisados os parâmetros coliformes totais, fecais e os metais pesados: Cu, Cd, Mn, Zn e Pb.  A microbacia Palmital apresentou-se mais adequada a legislação com maior percentual de Mata Atlântica na faixa ciliar e a microbacia Gloria menos adequada com maior percentual de pastagem. A qualidade da água da microbacia Palmital esta dentro dos padrões para consumo humano de acordo com a resolução 357/2005 do CONAMA, sendo que a água da microbacia Gloria não atende aos padrões exigidos.

 

Palavras chave: Mata Atlântica, área de preservação permanente, água

 

 

FERNANDES, M.M., CEDDIA, M.B., FRANCELINO, FERNANDES, M.R.M.

ENVIRONMENTAL DIAGNOSIS OF THE RIPARIAN ZONE  AND QUALITY OF WATER IN TWO MICRO WATERSHEDS USED FOR HUMAN SUPPLY 

 

 

2 ABSTRACT

 

The objective of this study was to evaluate the compliance of environmental legislation in the riparian zone and  the impact of land use concerning coliforms and heavy metals in the water of two watersheds used for water capturing.   Compliance and land use were evaluated using Iknos II and altimetric chart from the Brazilian Institute for Geography & Statistics (IBGE, in Portuguese language   acronym) in a GIS environment. To evaluate water quality, three samples were  collected monthly and analyzed for  total, fecal coliforms and heavy metals:   Cu, Cd, Mn, Zn and Pb.  Palmital watershed showed closer compliance with the legislation and  a higher percentage of Atlantic Forest in the riparian zone.  Glória micro watershed  showed little compliance with the legislation and higher percentage of pasture.  The quality of water   in the Palmital micro watershed meets the requirements of the 357/2005 resolution from CONAMA   for human consumption. Differently, the Gloria micro watershed does not meet these requirements.  

Keywords: Atlantic Forest, area of permanent preservation, water. 

Biografia do Autor

Milton Marques Fernandes, Universidade Federal de Sergipe

Engenheiro Florestal, Mestre em conservação da natureza, Professor de Ecologia Florestal do curso de engenharia florestal da Universidade Federal de Sergipe, Doutor em ciencia do solo na area de manejo de bacias e hidrologia florestal

Marcos Bacis Ceddia, UFRRJ

Professor Associado do Departamento de Solos da UFRRJ.

Márcio Rocha Francelino, UFV

Professor Adjunto do Departamento de Silvicultura da UFRRJ

Márcia Rodrigues de Moura Fernandes, UnB

Engenheira Florestal, Mestranda em Ciências Florestais da UnB.

Downloads

Publicado

2015-02-10

Como Citar

FERNANDES, M. M.; CEDDIA, M. B.; FRANCELINO, M. R.; FERNANDES, M. R. de M. DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DA FAIXA CILIAR E QUALIDADE DE ÁGUA DE DUAS MICROBACIAS UTLIZADAS PARA ABASTECIMENTO HUMANO. IRRIGA, [S. l.], v. 20, n. 1, p. 128–138, 2015. DOI: 10.15809/irriga.2015v20n1p128. Disponível em: https://revistas.fca.unesp.br/index.php/irriga/article/view/945. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos