DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PINHÃO-MANSO SOB DISPONIBILIDADES HÍDRICAS DO SOLO

Autores

  • Edna Maria Bonfim-Silva Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis
  • Bruna Elusa Kroth Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis
  • Tonny José Araújo Silva Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis
  • Marcio Koetz Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis

DOI:

https://doi.org/10.15809/irriga.2015v20n1p73

Resumo

DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PINHÃO-MANSO SOB DISPONIBILIDADES HÍDRICAS DO SOLO

 

 

EDNA MARIA BONFIM-SILVA1; BRUNA ELUSA KROTH1; TONNY JOSÉ ARAÚJO SILVA1 E MARCIO KOETZ1

 

1 Universidade Federal de Mato Grosso - Campus Universitário de Rondonópolis, Programa de Pós-graduação em Engenharia Agrícola. embonfim@hotmail.com; bru_ellusa@hotmail.com; tonnyjasilva@hotmail.com;marciokoetz@yahoo.com.br

 

 

1 RESUMO

 

O pinhão-manso (Jatropha curcas L.) é um potencial para produção de óleo, e por isso tem-se tornado uma alternativa para produção de biodiesel. Dessa forma, objetivou-se identificar a disponibilidade hídrica do solo que proporcione o melhor desenvolvimento inicial de plantas de pinhão-manso. O experimento foi conduzido na Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis sob condições controladas, com seis tratamentos (20; 40; 60; 80; 100 e 120% da capacidade máxima de retenção de água do solo) e cinco repetições. A umidade do solo na capacidade de campo foi de 0,24 cm3 cm-3. Foram utilizados vasos de 8 dm3 com duas plantas. A manutenção da umidade do solo foi realizada pelo método gravimétrico. Vinte dias após a implantação dos tratamentos foi realizado o corte das plantas. As variáveis analisadas foram índice SPAD (determinação indireta do teor de clorofila), número de folhas, altura das plantas e pH do solo. Os resultados foram submetidos à análise de variância e teste de regressão até 5% de probabilidade. As variáveis ajustaram-se ao modelo quadrático de regressão. As disponibilidades hídricas que proporcionaram melhor desenvolvimento inicial de plantas de pinhão-manso estão entre 56 e 71% da máxima capacidade de retenção de água no solo.

 

Palavras-Chave: Alagamento. Capacidade de campo. Jatropha curcas L.

 

 

BONFIM-SILVA, E.M.; KROTH, B.E.; SILVA, T.J.A.; KOETZ, M.

INITIAL  DEVELOPMENT OF PINHÃO-MANSO (Jatropha curcas L.) UNDER DIFFERENT SOIL WATER AVAILABILITY

 

 

2 ABSTTRACT

 

The Jatropha curcas L.  is an oilseed producing plant and it has been considered an option for biodiesel production. Thus, the objective of this study was to identify the soil water availability which could provide the best initial  development of Jatropha curcas L. plants.   The experiment was carried out in a greenhouse at the Federal University of Mato Grosso, Rondonópolis campus, under controlled conditions, using six treatments (20, 40, 60, 80, 100 and 120% of the maximum retention capacity of soil water) and five replicates. Soil moisture at field capacity was 0.24 cm3 cm-3. Vessels (8 dm3 )  with two plants were used. Maintenance of soil moisture was performed using the gravimetric method.  Plant harvesting was carried out 20 days after treatment initiation.  The following variables were analyzed: SPAD index, number of leaves, plant height and soil pH.  Analysis of variance and regression test were   performed on the results   with probability level at 5%.    Variables fitted to the quadratic model of regression. Soil water availability which provided the best initial  development of Jatropha curcas L. plants was between 56 and 71%  maximum retention capacity of soil water.

 

Keywords: flooding, Field capacity Jatropha curcas L.

 

Downloads

Publicado

2015-02-10

Como Citar

BONFIM-SILVA, E. M.; KROTH, B. E.; SILVA, T. J. A.; KOETZ, M. DESENVOLVIMENTO INICIAL DE PINHÃO-MANSO SOB DISPONIBILIDADES HÍDRICAS DO SOLO. IRRIGA, [S. l.], v. 20, n. 1, p. 73–81, 2015. DOI: 10.15809/irriga.2015v20n1p73. Disponível em: https://revistas.fca.unesp.br/index.php/irriga/article/view/902. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos