ANÁLISE DE CRESCIMENTO EM MUDAS DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) PROVENIENTES DE ESTACAS EM DIFERENTES RECIPIENTES PARA CULTIVO

Marcelo Alvares de Oliveira, Rafael Augusto Fiorine

Resumo


Com o crescente uso industrial do amido de mandioca há a necessidade do desenvolvimento de ummétodo de multiplicação rápida da planta. O objetivo do trabalho foi acompanhar o desenvolvimentode mudas (estacas) de mandioca, plantadas em tubetes plásticos ou em tubetes biodegradáveis,através da análise de crescimento e avaliar as características químicas e físicas dos tubetesbiodegradáveis. A variedade utilizada foi a IAC 576-70, sendo as mudas divididas em doistratamentos: plantadas em tubetes plásticos e em tubetes biodegradáveis. Em ambos os tratamentoso substrato utilizado foi o Plantmax. Após 22 dias de plantio das estacas nos tubetes, iniciou-se aanálise de crescimento semanal, para avaliar o desenvolvimento das mudas, bem como ascaracterísticas do tubete biodegradável. As mudas foram analisadas por oito semanas. Os resultadosindicam melhor desenvolvimento das mudas nos tubetes plásticos sempre superiores aos das mudasdos tubetes biodegradáveis. Ao final do experimento estas mudas apresentaram valores médios dealtura das mudas de 28,30 cm, número de folhas igual a 6,67 e uma área foliar de 215,63 cm2, valoresestes superiores aos das mudas cultivadas em tubetes biodegradáveis. A composição química dostubetes biodegradáveis acusou índice alto de Na++ na formulação, que levou a um pegamento de65,33% das mudas. Quando o teor de Na++ dos tubetes biodegradáveis decresceu a 60 mg/kg (5ªsemana), as mudas sobreviventes iniciaram seu desenvolvimento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.