PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA PROVÁVEL PARA O MUNICÍPIO DE BOTUCATU-SP

Autores

  • Daniela Araújo de Oliveira Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista (UNESP),
  • Alba Maria Guadalupe Orellana Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista (UNESP)
  • Lisett Rocio Zamora Ortega 1Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista (UNESP),
  • Tamires Lima da Silva 3Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista (UNESP)
  • Alexandre Barcellos Dalri 5Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, campus de Jaboticabal, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

DOI:

https://doi.org/10.15809/irriga.2021v26n4p853-866

Resumo

PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA PROVÁVEL PARA O MUNICÍPIO DE BOTUCATU-SP

 

 

DANIELA ARAUJO DE OLIVEIRA1; ALBA MARIA GUADALUPE ORELLANA GONZALEZ 1; LISETT ROCIO ZAMORA ORTEGA1; TAMIRES LIMA DA SILVA1 E ALEXANDRE BARCELLOS DALRI2

 

1 Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Avenida Universitária, nº 3780 – CEP 18610-034, Altos do Paraíso, Botucatu, SP, Brasil, E-mail: araujo1daniela@gmail.com; oregonza9@gmail.com; zrocio9203@gmail.com; tamireslsilva@gmail.com;

2 Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, campus de Jaboticabal, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castellane, s/n - CEP 14884-900 Jaboticabal, SP, Brasil, E-mail: alexandre.dalri@unesp.br

 

 

1 RESUMO

 

No balanço hídrico de um local ou região, a precipitação pluviométrica é o principal elemento de entrada; portanto, o conhecimento de sua disponibilidade é essencial para a gestão sustentável dos recursos hídricos. A precipitação pluviométrica provável é o valor extremo (mínimo ou máximo) de lâmina de chuva que tem uma probabilidade específica de ocorrência e pode ser calculada por meio de distribuições de probabilidades. Este estudo teve como objetivo estimar a precipitação pluviométrica provável nos níveis de 10, 20, 30, 40, 50, 60, 70, 80 e 90% de probabilidade de ocorrência para o município de Botucatu, SP, em períodos acumulados de 10, 15 e 30 dias, utilizando a distribuição de probabilidade Gama. O teste de aderência de Kolmogorov-Smirnov, ao nível de 5% significância, indicou que a distribuição Gama se ajustou à precipitação pluviométrica provável mensal do município de Botucatu-SP e não se ajustou à dez períodos decendiais e um período quinzenal. Comparado com estudos anteriores, foram observadas variações de tendência na precipitação pluviométrica para Botucatu-SP, com redução no período considerado chuvoso e aumento no período considerado seco.

 

Palavras-chave: chuva, distribuição Gama, Kolmogorov-Smirnov, planejamento agrícola.

 

 

OLIVEIRA, D. A. DE; ORELLANA-GONZALEZ, A. M. G.; ORTEGA, L. R. Z.; SILVA, T. L. DA; DALRI, A. B.

PROBABLE RAINFALL TO THE MUNICIPALITY OF BOTUCATU-SP

 

 

2 ABSTRACT

 

In the water balance of a place or region, rainfall is the main input element; therefore, knowledge of its availability is essential for the sustainable management of water resources. Probable rainfall is the extreme value (maximum or minimum) of rainfall that has a specific probability of occurrence and can be calculated through probability distributions. This study aimed to estimate the probable rainfall at levels of 10, 20, 30, 40, 50, 60, 70, 80, and 90% probability of occurrence for the municipality of Botucatu, SP, in cumulative periods of 10, 15, and 30 days, using the Gamma probability distribution. The Kolmogorov-Smirnov adherence test, at a 5% significance level, indicated that the Gamma distribution fitted the probable monthly rainfall in the municipality of Botucatu-SP and did not fit ten decennials’ periods and one biweekly period.  Compared to previous studies, trend variations in rainfall were observed for Botucatu-SP, with a reduction in the period considered rainy and an increase in the period considered dry.

 

Keywords: rainfall, Gamma distribution, Kolmogorov-Smirnov, agricultural planning.

Biografia do Autor

Daniela Araújo de Oliveira, Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista (UNESP),

Possui graduação em Engenharia Agrícola e Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso (2017), Mestrado em Agronomia (Sistemas de Produção) pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Atualmente é doutoranda em Agronomia (Irrigação e Drenagem) na Universidade Estadual Paulista (UNESP). Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em agrometeorologia, irrigação e sensoriamento remoto.

Alba Maria Guadalupe Orellana , Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Possui graduação em Economia - Universidad Catolica José Simeón Canas (1987), mestrado em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (2006) e doutorado em Ecologia Aplicada pela Universidade de São Paulo (2010) e atividades de participação em projeto da Universidade de São Paulo, e na UNESP BOTUCATU Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia dos Recursos Naturais e ambientais, Economia Ecologica atuando principalmente nos seguintes temas: valoração economica-ecologica de serviços ecossistemicos, programas de pagamentos por serviços ambientais, gestão ambiental, dinamica de sistemas, modelos de simulaçao, gestao de recursos hidricos, modelagem e recursos hidricos

Lisett Rocio Zamora Ortega, 1Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista (UNESP),

Possui graduação em engenharia ambiental - Universidad Autonoma Gabriel René Moreno (2017). Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Recursos Florestais e Engenharia Florestal, atuando principalmente nos seguintes temas: redes neurais artificiais, radiação solar, modelos estatísticos, temperatura do ar e irradiação difusa.

Tamires Lima da Silva, 3Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Doutoranda em Agronomia- Irrigação e Drenagem (2019-atual), com o projeto de pesquisa: "Modelagem dos Impactos das Mudanças Climáticas nas Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí considerando o Nexo Água- Energia- Alimento". Mestra em Agronomia Irrigação e Drenagem (2017-2019), com projeto de pesquisa financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo-FAPESP, o qual foi intitulado: "Análise da Eficiência de um Sistema de Baixo Custo de Tratamento de Água Residuária para fins de Reuso Agrícola em Comunidades Rurais e Populações Tradicionais" (Processo FAPESP2017/14729-3). Foi bolsista do Programa Ciências Sem Fronteiras (CSF) na modalidade Graduação Sanduíche no Canadá (2013-2014), com apoio institucional da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), sendo aluna do curso de Engenharia Ambiental na University of Northern British Columbia (UNBC). No período de intercâmbio desenvolveu no Centro de Pesquisa da University of Northern British Columbia Quesnel River Research Centre (QRRC) pesquisa sobre "The impacts of the Mining Activity on the Water Quality in Quesnel River Basin, BC, Canada (Os Impactos da Atividade de Mineração na Qualidade da Água na Bacia Hidrográfica de Quesnel, BC, Canada)". Atuou como Monitora do Projeto de Iniciação Científica Junior (Pesquisador do Futuro), intitulado: Mapeamento e Avaliação da Potabilidade da Água Subterrânea em Poços Artesianos no Bairro Guriri, São Mateus-ES, com apoio institucional da FAPES (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espirito Santo) de outubro (2015) à fevereiro (2017), sendo ganhadora do Prêmio Ecologia 2016 : Crise Hídrica-Ações e Soluções (dezembro 2016), na categoria Pesquisa. Atuou como Estagiária na Secretaria do Meio Ambiente de Nova Venécia-ES (de agosto 2015 a dezembro de 2016), tendo realizado análises de processos de licenciamento ambiental, desenvolvido e participado de diversos projetos de Educação Ambiental e gerenciamento de resíduos sólidos, também participou de reuniões e ações do comitê de Bacia Hidrográfica- Barra Seca e Foz do Rio Doce. Têm experiência na área de Gerenciamento de projetos, Reuso de água residuária, Tratamento e Qualidade da Água, Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Educação Ambiental. https://orcid.org/0000-0003-0509-1645 ResearcherID: I-2222-2017

Alexandre Barcellos Dalri, 5Departamento de Engenharia Rural, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, campus de Jaboticabal, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Graduado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Lavras - UFLA (1998), Mestrado em Agronomia (Irrigação e Drenagem) pela Universidade Estatual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu (2001) e Doutorado em Agronomia (Irrigação e Drenagem) pela Universidade Estatual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu (2004). Atualmente é Professor Assistente da UNESP Câmpus de Jaboticabal (FCAV/UNESP). Coordenador Pedagógico da UNATI (Universidade Aberta à Terceira Idade - Unati/Proex/Unesp) - Iniciativa democrática de alcance social promovida pela UNESP. Exerce cargo de Diretor Executivo da Associação Brasileira de Engenharia Agrícola (SBEA). Ouvidor local da UNESP, Campus de Jaboticabal. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Irrigação e Drenagem, atuando principalmente nos seguintes temas: agricultura irrigada, sistemas de irrigação, hidrologia e agricultura digital. Professor e Orientador no Programa de Pós-Graduação em Irrigação e Drenagem na UNESP Botucatu. É Relator Ad-Hoc Revistas Técnicas brasileiras e também da FAPESP. alexandre.dalri@unesp.br

Publicado

2021-12-22

Como Citar

OLIVEIRA, D. A. de .; ORELLANA , A. M. G.; ORTEGA, L. R. Z. .; SILVA, T. L. da; DALRI, A. B. PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA PROVÁVEL PARA O MUNICÍPIO DE BOTUCATU-SP. IRRIGA, [S. l.], v. 26, n. 4, p. 853–866, 2021. DOI: 10.15809/irriga.2021v26n4p853-866. Disponível em: https://revistas.fca.unesp.br/index.php/irriga/article/view/4075. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos