Erosividade e características hidrológicas das chuvas de Viçosa (MG)

Autores

  • Adão Wagner Pêgo Evangelista Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Marcos Antônio Vieira Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Marciana Cristina da Silva Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Jorge Luiz Moretti de Souza Universidade Federal do Paraná - UFPR

DOI:

https://doi.org/10.15809/irriga.2012v17n4p456

Resumo

O objetivo deste trabalho foi determinar a erosividade e as características hidrológicas das chuvas de Viçosa, MG, com base no período de 1982 a 2001. Para cada chuva erosiva foram digitados a hora e a lâmina acumulada, sendo os dados processados em planilha eletrônica, onde foram calculados o índice EI30, os totais mensais e anuais e o padrão das chuvas erosivas. Também foram construídas curvas de intensidade, duração e freqüência para os padrões de chuva supracitados. Para Viçosa o valor do índice de erosividade anual é de 7601 MJ mm ha-1h-1 (Fator “R” da USLE). O padrão de chuvas avançado se destacou em todos os parâmetros analisados, seguido em ordem decrescente pelo padrão de chuvas intermediário e atrasado. O padrão avançado correspondeu a 60% do total de chuvas analisadas, o intermediário com 24% e o atrasado com 16%.

Biografia do Autor

Adão Wagner Pêgo Evangelista, Universidade Federal de Goiás - UFG

Engenheiro Agrícola, Setor de Engenharia Rural, Engenharia de água e solo

Marcos Antônio Vieira, Universidade Federal de Goiás - UFG

Agronomo,  Setor de Engenharia Rural, Engenharia de água e solo

Marciana Cristina da Silva, Universidade Federal de Goiás - UFG

Tecnóloga em irrigação e drenagem, Setor de Engenharia Rural, Engenharia de água e solo

Jorge Luiz Moretti de Souza, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Engenheiro Agrícola, Departamento de Solos e Engenharia Agrícola da UFPR, Engenharia de água e solo.

Downloads

Publicado

2012-11-29

Como Citar

EVANGELISTA, A. W. P.; VIEIRA, M. A.; DA SILVA, M. C.; DE SOUZA, J. L. M. Erosividade e características hidrológicas das chuvas de Viçosa (MG). IRRIGA, [S. l.], v. 17, n. 4, p. 456–468, 2012. DOI: 10.15809/irriga.2012v17n4p456. Disponível em: https://revistas.fca.unesp.br/index.php/irriga/article/view/256. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos