ALTERAÇÕES FÍSICO-QUÍMICAS EM RAÍZES DE CENOURA EM CONSEQUÊNCIA DO PROCESSAMENTO MÍNIMO E DO PERÍODO DE ARMAZENAMENTO

  • Veridiana Zocoler de Mendonça Faculdade de Ciências Agronômicas/UNESP, Doutoranda em Agronomia (Energia na Agricultura)
  • Carla Verônica Corrêa Faculdade de Ciências Agronômicas/UNESP, Doutoranda em Agronomia (Horticultura)
  • Aline Mendes de Sousa Gouveia Faculdade de Ciências Agronômicas/UNESP, Doutoranda em Agronomia (Horticultura)
  • Regina Marta Evangelista Faculdade de Ciências Agronômicas/UNESP, Professora do Departamento de Horticultura

Resumo

Objetivou-se com esta pesquisa avaliar a qualidade pós-colheita de cenouras submetidas ao processamento mínimo em diferentes cortes (cubo, rodela e palito) e períodos de armazenamento refrigerado (0, 2, 4, 6, 8 e 10 dias). Após o processamento, as raízes de cenoura foram colocadas em bandeja de poliestireno expandido recobertas com filme plástico de policloreto de vinila e armazenadas em câmara fria em temperatura de 5 ± 1 °C e 90 ± 5 % de umidade relativa. As análises físico-químicas realizadas foram perda de massa, pH, acidez titulável, sólidos solúveis, açúcares redutores, totais e sacarose. O período de armazenamento e os tipos de cortes influenciaram as características físico-químicas das raízes de cenoura. As cenouras minimamente processadas apresentaram potencial de comercialização até 10 dias em armazenamento refrigerado. O corte tipo palito apresentou maior perda de massa enquanto as cenouras submetidas ao corte em cubo apresentaram menor perda de massa e menor consumo de carboidratos de reserva durante o armazenamento, sendo este o corte recomendado no processamento mínimo de cenouras. 

Publicado
2016-12-08
Seção
Ciência e Tecnologia dos Alimentos