ADOÇÃO DAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MELHOR QUALIDADE NUTRICIONAL, BRS DOURADA E BRS GEMA DE OVO, NO ESTADO DA BAHIA

Carlos Vitor Oliveira Alves, Carlos Estevão Leite Cardoso, Mariana Sampaio Guerreiro, Gabriela Navarro Donato, Carolina Gonzalez, Wânia Maria Gonçalves Fukuda

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo avaliar, de forma preliminar, a taxa de adoção das variedadesde mandioca, BRS Gema de Ouro e BRS Dourada, de melhor qualidade nutricional, no Estado daBahia. Para tanto se aplicaram questionários a uma amostra de produtores. Os resultadospreliminares indicam que, embora quase 77,8% dos entrevistados tenham manifestado queconheciam as variedades, 65,7% não plantaram no ano de 2007, em decorrência de dificuldade deacesso às variedades. Aproximadamente 64% dos entrevistados disseram que desejavam plantar asvariedades. Dentre os produtores entrevistados que responderam que não iria plantar as variedades,17,1% alegaram que não sabiam onde encontrar manivas/sementes. Quanto às qualidades culinárias(por exemplo, tempo de cozimento, velocidade de deterioração, facilidade para soltar a casca, etc.),em termos gerais, as variedades introduzidas apresentaram vantagens em relação às variedadestradicionais. Os produtores, além de informarem que as variedades foram mais produtivas que astradicionais, mais de 40% disseram que não houve diferença quanto ao manejo. Como base nessesresultados sugere-se que, para aumentar a taxa de adoção, deve-se promover a instalação decampos de material básico visando facilitar aos produtores o acesso às variedades. Além disso,recomenda-se também intensificar as informações quanto às vantagens nutricionais das variedadesintroduzidas, haja vista que há uma forte preferência pelas variedades de polpa branca. Isso pode setornar uma restrição à adoção das variedades introduzidas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.