QUALIDADE DE ÓLEO DE PINHÃO MANSO CULTIVADO SOB DIFERENTES MANEJOS DE ÁGUA E ADUBAÇÃO POTÁSSICA

  • Adão Wagner Pêgo Evangelista Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Ricardo Alexandre Florentino Barbosa Universidade Federal de Goiás - UFG
  • José Alves Júnior Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Derblai Casaroli Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Rilner Alves Flores Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Rafael Battisti

Resumo

QUALIDADE DE ÓLEO DE PINHÃO MANSO CULTIVADO SOB DIFERENTES MANEJOS DE ÁGUA E ADUBAÇÃO POTÁSSICA

 

 

ADÃO WAGNER PÊGO EVANGELISTA1; RICARDO FLORENTINO BARBOSA2; JOSÉ ALVES JÚNOR1; DERBLAI CASAROLI1; RILNER ALVES FLORES3 E RAFAEL BATTISTI1

 

1 Professor Doutor, Departamento de Engenharia de Biosssitemas, Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás”- UFG, Rodovia Goiânia / Nova Veneza, Km 0, Goiânia, GO, Brasil. E-mail: awpego@pq.cnpq.br, jose.junior@pq.cnpq.br, derblaicasaroli@yahoo.com.b, battisti@ufg.br.

2 Mestre, Departamento de Engenharia de Biosssitemas, Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás”- UFG, Rodovia Goiânia / Nova Veneza, Km 0, Goiânia, GO, Brasil. E-mail: rafbagronomia@yahoo.com.br.

3 Professor Doutor, Departamento de Solos, Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás”- UFG, Rodovia Goiânia / Nova Veneza, Km 0, Goiânia, GO, Brasil. E-mail: rilner1@hotmail.com .

 

 

1 RESUMO

 

O pinhão manso é uma oleaginosa com alto potencial para produção de biodiesel e biolubrificantes, porém existem poucos trabalhos abordando o efeito da irrigação e demandas nutricionais sobre a qualidade e composição do óleo. Portanto, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da adubação potássica e da irrigação sobre a composição do óleo de pinhão manso. O experimento foi desenvolvido na área experimental da Escola de Agronomia da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás. Os tratamentos consistiram de quatro doses de adubação potássica, sendo: 40, 80, 120, e 160 kg ha-1, e quatro lâminas de irrigação: 0% (sem irrigação), 40%, 80% e 120% da evaporação do tanque Classe A (ECA). O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com 4 repetições, analisado no esquema de parcelas subdivididas. Para extração de óleo das sementes utilizou-se o método mecânico por prensagem e para obtenção da composição de óleo utilizou-se a cromatografia gasosa. Os tratamentos de adubação e irrigação promoveram alterações na qualidade do óleo de sementes de pinhão manso. Plantas adubadas com 120 kg ha-1 de K2O e irrigadas com a lâmina de irrigação de 80% da ECA obtém os melhores resultados.

 

Palavras-chave: biodiesel, lâminas de irrigação, nutrição de plantas, Jatropha curcas.

 

 

EVANGELISTA, A. W. P.; BARBOSA, R. F.; ALVES JÚNOR. J.; CASAROL, D.; FLORES, R. A.; BATTISTI, R.

OIL QUALITY OF JATROPHA TREE CULTIVATED UNDER DIFFERENT MANAGEMENTS OF IRRIGATION AND POTASSIUM FERTILIZATION

 

 

2 ABSTRACT

 

Jatropha is an oilseed with high potential for biodiesel and biofuel production. However, studies are scarce about the effect of water and nutritional requirement in the oil quality and composition. Therefore, the objective of this work was to evaluate the effect of potassium fertilization and irrigation on the composition of jatropha oil. The treatments consisted of four potassium fertilization levels: 40, 80, 120, and 160 kg ha-1, and four irrigation levels: 0% (without irrigation), 40%, 80% and 120% of Class A pan evaporation (ECA). The experimental was design in randomized blocks with subdivided plots and four replicates. The mechanical method by pressing was used to extract oil from the seeds, using gas chromatography to obtain the oil composition. Fertilization and irrigation treatments promoted changes in the quality of jatropha seeds oil. Plants fertilized with 120 kg ha-1 of K2O and with  irrigation level of 80% of ECA show the best results.

 

Keywords: biodiesel, irrigation management, plant nutrition, Jatropha curcas.

Biografia do Autor

Adão Wagner Pêgo Evangelista, Universidade Federal de Goiás - UFG
Engenheiro Agrícola, Setor de Engenharia de Biossistemas, Engenharia de água e solo
Ricardo Alexandre Florentino Barbosa, Universidade Federal de Goiás - UFG
Agronomo, Setor de Engenharia de Biossistemasl, Engenharia de água e solo
José Alves Júnior, Universidade Federal de Goiás - UFG
Agronomo, Setor de Engenharia de Biossistemas, Engenharia de água e solo
Derblai Casaroli, Universidade Federal de Goiás - UFG
Agronomo, Setor de Biossistemas, Climatologia Agrícola
Rilner Alves Flores, Universidade Federal de Goiás - UFG
Agronomo, Setor de Solos, Nutrição de plantas
Rafael Battisti
Agronomo, Setor de Biossistemas, Climatologia Agrícola
Publicado
2019-12-16
Seção
Artigos