MORPHOLOGICAL ASSESSMENT OF FALL IRRIGATED MAIZE INTERCROPPED WITH TROPICAL FORAGES

Francisco Cézar Belchor Lages Pereira, Luiz Malcolm Mano de Mello, Cristiano Magalhães Pariz, Veridiana Zocoler de Mendonça, Élcio Hiroyoshi Yano, Elka Elice Vasco de Miranda, Carlos Alexandre Costa Crusciol, Jorge Martinelli Martello

Resumo


MORPHOLOGICAL ASSESSMENT OF FALL IRRIGATED MAIZE INTERCROPPED WITH TROPICAL FORAGES

 

 

FRANCISCO CÉZAR BELCHOR LAGES PEREIRA1; LUIZ MALCOLM MANO DE MELLO2; CRISTIANO MAGALHÃES PARIZ3; VERIDIANA ZOCOLER DE MENDONÇA4; ÉLCIO HIROYOSHI YANO2; ELKA ELICE VASCO DE MIRANDA5; CARLOS ALEXANDRE COSTA CRUSCIOL6 E JORGE MARTINELLI MARTELLO7

 

1 Engenheiro Agrônomo. Mestre em Agronomia na Especialidade de Sistemas de Produção. Faculdade de Engenharia (FE/UNESP – Campus de Ilha Solteira). Avenida Brasil 56, Centro, Caixa Postal 31, CEP: 15.385-000, Ilha Solteira, SP - Brasil. E-mail: franciscocezarbl@gmail.com.

2 Engenheiro Agrônomo. Professor do Departamento de Fitossanidade, Engenharia Rural e Solos. Faculdade de Engenharia (FE/UNESP – Campus de Ilha Solteira). Avenida Brasil 56, Centro, Caixa Postal 31, CEP: 15.385-000, Ilha Solteira, SP - Brasil. E-mail: malcolm@agr.feis.unesp.br; elcio@agr.feis.unesp.br.

3 Zootecnista. Pós-Doutorando em Zootecnia na Especialidade de Avaliação, Produção e Conservação de Forragens. Departamento de Melhoramento e Nutrição Animal. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ/UNESP – Campus de Botucatu).  Distrito de Rubião Júnior, s/n, Caixa Postal 560, CEP: 18.618-970, Botucatu, SP - Brasil. E-mail: cmpzoo@gmail.com.

4 Engenheira Agrônoma. Doutoranda em Agronomia na Especialidade de Energia na Agricultura. Departamento de Horticultura. Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA/UNESP – Campus de Botucatu).  Rua José Barbosa de Barros, 1.780, CEP: 18.610-307, Botucatu, SP - Brasil. E-mail: veridianazm@yahoo.com.br.

5 Engenheira Agrônoma. Professora da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS) – Campus de Glória de Dourados. Cidade Universitária de Dourados, Caixa Postal 351, Jardim América, CEP: 79.804-970, Dourados, MS - Brasil. E-mail: elkaelice@uems.br.

6 Engenheiro Agrônomo. Professor do Departamento de Produção e Melhoramento Vegetal. Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA/UNESP – Campus de Botucatu). Rua José Barbosa de Barros, 1780, Fazenda Lageado, CEP: 18.610-307, Botucatu, SP - Brasil. E-mail: crusciol@fca.unesp.br.

7 Engenheiro Agrônomo. Doutorando em Agronomia na Especialidade de Energia na Agricultura. Departamento de Produção e Melhoramento Vegetal. Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA/UNESP – Campus de Botucatu).  Rua José Barbosa de Barros, 1.780, CEP: 18.610-307, Botucatu, SP - Brasil. E-mail: jorgemartinelli@hotmail.com.

 

 

1 ABSTRACT

 

Fall irrigated maize intercropped with tropical forages can raise the amount of crop residues and relative nitrogen yield and improve land use efficiency without decreasing grain yield. The aim was to evaluate the effect of modalities of fall-irrigated maize (Zea mays L.) intercropped with tropical forages on the components of production, grain, straw and relative nitrogen yield, competitive factors in the intercrop and land use efficiency, in no-till (NT) system in the lowland Brazilian Cerrado. A randomized complete block experimental design was used in a 4×3+1 factorial arrangement with one control treatment, constituting 13 treatments, with four replications (n=4). The treatments comprised four tropical forages intercropped with maize: palisade grass (Urochloa brizantha cv. Marandu), congo grass (Urochloa ruziziensis), and the guinea grass cultivars Tanzânia and Áries (Panicum maximum cv. Tanzânia and Áries); three intercropping modalities: forage sown simultaneously in the maize rows, mixed with fertilizer; forage sown (broadcast) on the same day as maize sowing; and forage sown, mixed with top-dressed fertilizer, at the V4 stage of maize; and one control treatment (maize monoculture). Regardless of the type of tropical forage and intercropping modality, intercropping exhibited minimum competition between crops and did not interfere on the yield components and grain yield of fall-irrigated maize. In addition, it increased the amount of straw, and improved land use efficiency and relative nitrogen yield in comparison to mono-cropped maize. The best options were congo grass sown simultaneously in the maize rows and guinea grass cv. Tanzânia and guinea grass cv. Áries sown broadcast on total area, as they raised the shoot dry matter of maize and forage and land equivalent ratio. Congo grass sown simultaneously in the maize rows also raised the relative nitrogen yield.

 

Keywords: lowland Brazilian Cerrado, Panicum, Urochloa, Zea Mays L.

PEREIRA, F. C. L. B.; MELLO, L. M. M.; PARIZ, C. M.; MENDONÇA, V. Z.; YANO, E. H.; MIRANDA, E. E. V.; CRUSCIOL, C. A. C.; MARTELLO, J. M.

AVALIAÇÃO MORFOLÓGICA DO CONSÓRCIO DE MILHO OUTONAL IRRIGADO COM FORRAGEIRAS TROPICAIS

 

 

2 RESUMO

 

O consórcio de milho outonal irrigado com forrageiras tropicais, pode elevar a quantidade de palhada e a produtividade relativa de nitrogênio, além de melhorar a eficiência de uso da terra, sem reduzir a produtividade de grãos. Objetivou-se avaliar o efeito de modalidades de implantação do consórcio de milho outonal irrigado com forrageiras tropicais sobre os componentes da produção, a produtividade relativa de nitrogênio, grãos e palhada, os fatores

de competição no consórcio e a eficiência de uso da terra, sob sistema plantio direto no Cerrado de baixa altitude. O delineamento experimental foi em blocos casualizados em esquema fatorial (4×3+1) com uma testemunha, constituindo 13 tratamentos com quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos por quatro forrageiras: capim-marandu, capim-ruziziensis, capim-tanzânia e capim-áries; e três modalidades de consórcio das forrageiras com o milho: forrageira semeada simultaneamente na linha de semeadura, misturada com o adubo; forrageira semeada simultaneamente a lanço em área total no mesmo dia da semeadura do milho; e forrageira semeada a lanço misturada ao adubo de cobertura no estádio V4 do milho; e uma testemunha constituída pelo cultivo exclusivo do milho. Independente da forrageira e da modalidade de semeadura, o consórcio proporcionou mínima competição entre as culturas e não interfere nos componentes da produção e na produtividade de grãos de milho outonal irrigado, além de elevar a quantidade de palhada, melhorar a eficiência de uso da terra e a produtividade relativa de nitrogênio, em relação ao cultivo exclusivo do milho.

 

Palavras-chave: Cerrado de baixa altitude, Panicum, Urochloa, Zea Mays L.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15809/irriga.2017v22n3p512-529

Direitos autorais 2017 IRRIGA