COMPARAÇÃO ENTRE DADOS METEOROLÓGICOS OBTIDOS POR ESTAÇÕES CONVENCIONAIS E AUTOMÁTICAS NO ESTADO DO PIAUÍ, BRASIL*

Aureliano de Albuquerque Ribeiro, Aderson Soares de Andrade Júnior, Everaldo Moreira da Silva, Marcelo Simeão, Edson Alves Bastos

Resumo


COMPARAÇÃO ENTRE DADOS METEOROLÓGICOS OBTIDOS POR ESTAÇÕES CONVENCIONAIS E AUTOMÁTICAS NO ESTADO DO PIAUÍ, BRASIL*

 

 

AURELIANO DE ALBUQUERQUE RIBEIRO1; ADERSON SOARES DE ANDRADE JÚNIOR2; EVERALDO MOREIRA DA SILVA3; MARCELO SIMEÃO4 E EDSON ALVES BASTOS2

 

1Doutorando em Engenharia Agrícola, Universidade Federal do Ceará, Av. Mister Hull, s/n - Pici, bloco 804, 60455-760, Fortaleza - CE, alburibeiro@hotmail.com

2Pesquisador Embrapa Meio-Norte, Teresina, PI, aderson.andrade@embrapa.br, edson.bastos@embrapa.br

3 Professor Adjunto II da Universidade Federal do Piauí, Campus Professora Cinobelina Elvas, Bom Jesus, PI, everaldo@ufpi.edu.br

4 Mestre em Agronomia: Solos e Nutrição de Plantas, Universidade Federal do Piauí, Campus Professora Cinobelina Elvas, Bom Jesus, PI, marcelosimeao16@gmail.com

*Extraído da dissertação de mestrado do primeiro autor

 

 

1 RESUMO

O registro de elementos climáticos é efetuado por estações meteorológicas convencionais e automáticas. Porém, por questões operacionais e de custo, as estações automáticas estão substituindo as convencionais. Contudo, para que as séries de dados dessas estações sejam únicas, há a necessidade de estudos comparativos entre as duas estações. O estudo teve como objetivo comparar dados meteorológicos obtidos por estações convencionais (EMC) e automáticas (EMA) em municípios do Estado do Piauí (Paulistana, Picos, São João do Piauí, Floriano, Parnaíba e Piripiri). Os elementos meteorológicos avaliados foram: temperaturas do ar máxima (°C) mínima (ºC) e média (ºC), umidade relativa média do ar (%), velocidade do vento a 10 m (m s-1), precipitação pluviométrica (mm) e pressão atmosférica média (hPa). As comparações dos dados foram feitas por meio dos seguintes indicadores estatísticos: precisão (R2), erro absoluto médio (EAM), coeficiente de correlação (r), índice de concordância de Willmott (d) e índice de confiança (c). Os melhores ajustes dos dados foram constatados para a precipitação e pressão atmosférica; intermediários, para a temperatura do ar, umidade relativa do ar média e os piores, para a velocidade do vento. A umidade relativa média do ar foi o elemento analisado que mostrou as maiores diferenças entre a EMC e a EMA.

 

Palavras-chave: Agrometeorologia, elementos climáticos, sensores.

 

RIBEIRO, A. A.; ANDRADE JÚNIOR, A. S.; SILVA, E.M.; SIMEÃO, M.; BASTOS, E.A.

COMPARISON OF METEOROLOGICAL DATA RECORDED BY CONVENTIONAL AND AUTOMATIC STATIONS IN PIAUÍ STATE, BRAZIL

 

 

 

2 ABSTRACT

Climatic elements are recorded by both conventional and automatic weather stations. However, due to cost and operational issues, automatic stations are replacing the conventional. So that  data sets from these stations are unique, there is a need for comparative studies between the two types of stations. The aim of this study was to compare meteorological data obtained by conventional and automatic stations in towns of the State of Piauí, Brazil (Paulistana, Picos, São João do Piauí, Floriano and Piripiri).The meteorological elements evaluated were: maximum (°C) minimum (°C) and average (°C) air temperature, average relative humidity (%), wind speed at 10 m (m s-1), rainfall (mm) and average atmospheric pressure (hPa). Data comparison was by the following statistical indicators: precision (R2), mean absolute error (EAM), Pearson correlation coefficient (r), Willmott’s index of agreement (d) and confidence index (c).  The best data adjustments were observed for rainfall and atmospheric pressure; intermediates for the air temperature, average relative humidity and worst for the wind speed.  The air average relative humidity was the analyzed element that showed the greatest differences between EMC and EMA.

 

Keywords: Agrometeorology, meteorological elements, sensors

 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15809/irriga.2017v22n1p220-235

Direitos autorais 2017 IRRIGA